Também estamos nas redes

Faça sua busca

Saúde

Pesquisa revela piora do estilo de vida do brasileiro na pandemia

Pesquisa realizada em conjunto pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e pelas universidades federais de Lavras (Ufla), Ouro Preto (Ufop) e Viçosa (UFV) revelou maior tempo de tela e menos atividade física

pessoa com um notebook em cima da cama
(Imagem arquivo/Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

Maior tempo de tela e menos atividade física: o estilo de vida do brasileiro piorou durante a pandemia, mostra pesquisa de universidades federais mineiras. O estudo foi iniciado cinco meses após o início das medidas de distanciamento social. 

Os resultados da primeira etapa foram publicados em artigo nas revistas Public Health Nutrition e na Frontiers in Nutrition. A pesquisa foi realizada em conjunto pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e pelas universidades federais de Lavras (Ufla), Ouro Preto (Ufop) e Viçosa (UFV). 

Em relação às refeições, diminuiu a frequência de realização de café da manhã, lanche e almoço, por outro lado, aumentou a realização de lanches noturnos e outras refeições além das tradicionais. Os hábitos alimentares também pioraram, com aumento de consumo de pães, farináceos, refeições instantâneas e fast food. O consumo de frutas e vegetais, por sua vez, caiu.

Sobre o estilo de vida, houve mudança no consumo mais frequente de bebida alcoólica, aumento na frequência no hábito de fumar, e no tempo de utilização de telas e dispositivos. Antes da pandemia, os participantes da pesquisa relataram média diária de seis horas e meia de exposição. Durante a pandemia, esse número subiu para dez horas por dia.

Por outro lado, houve redução da prática de atividade física. Os voluntários que responderam ao questionário informaram praticar em torno de 120 minutos por semana no período pré-pandemia e o índice caiu para 80 minutos por semana com as restrições para evitar a circulação do novo coronavírus. A recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) é uma prática semanal de 150 a 300 minutos.

Para o estudo, foram aplicados questionários online entre agosto e setembro de 2020. Os dados reúnem respostas de 1.368 pessoas de ambos os sexos, com idade a partir de 18 anos. Quase 90% são da região Sudeste e 80% são mulheres. Entre os respondentes, 97% disseram estar cumprindo as medidas de distanciamento social.

A segunda etapa da pesquisa envolve a análise de variáveis de comportamento alimentar, ganho de peso e prática de exercício físico durante a pandemia. De acordo com os pesquisadores, esta fase está em andamento e inclui a reaplicação do questionário após 10 meses.

Compartilhe

Comunicar erroFale conoscoNewsletter

Comentários

Cidade

A Secretaria Municipal da Educação (Semed) recebe as inscrições tanto para a educação infantil quanto para o ensino fundamental até o dia 29/10

Saúde

Intervalo entre Dose 1 e 2 foi reduzido para 56 dias; Cerca de 26 mil pessoas deverão ser imunizadas nos próximos dias no município

Educação

De acordo com um novo decreto, publicado na noite desta quinta-feira (21), os protocolos de biossegurança continuam valendo para todas as unidades escolares, que devem disponibilizar álcool 70% na entrada dos locais e em todos os ambientes internos, bem como o uso obrigatório de máscara por todos

Concursos e Emprego

Processo seletivo para contratação temporária nos cargos de auxiliar operacional e operador logístico é conduzido pela Superintendência do Trabalho, Emprego e Renda (Seter). Não é exigida experiência nas funções

Cidade

Abastecimento deverá ser normalizado no decorrer da noite de hoje, segundo a empresa

Educação

Os protocolos de biossegurança continuam valendo para todas as unidades escolares, que devem disponibilizar álcool 70% na entrada dos locais e em todos os ambientes internos, bem como o uso obrigatório de máscara por todos.

Cidade

O instituto orienta que a população observe sinais de perigo nas encostas e próximo aos leitos de rios, em razão do volume acumulado de chuva

Cidade

Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) contribui para as ações de combate ao vetor no município

Publicidade