Fachada do edifício sede da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil)
Fachada do edifício sede da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil)
Fachada do edifício sede da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil)
Fachada do edifício sede da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou hoje (31) que recebeu pedido para realização de estudos de fase 1 e 2 da vacina SpiNTec. O imunizante está sendo desenvolvido pelo CTVacinas, centro de pesquisas em biotecnologia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) em parceria com a Fundação Ezequiel Dias (Funed).

A análise da Anvisa considerará a “proposta do estudo, o número de participantes e os dados de segurança obtidos até o momento nos estudos pré-clínicos que são realizados em laboratório e animais”. A solicitação foi enviada na última sexta-feira (30).

A agência informou ainda que, antes da formalização do pedido, já havia se reunido com a equipe da UFMG para esclarecimentos. O último encontro foi em 14 de junho. Foram discutidas questões como o andamento dos testes e os aspectos regulatórios que devem ser atendidos para submissão do pedido.

Compartilhe

 

Comunicar erroFale conoscoNewsletter

Mais do Agenda Betim
vacina contra a covid-19

Vacina contra a Covid segue disponível nas unidades de saúde em Betim

Moradores que estão com doses em atraso podem atualizar o esquema vacinal das 9h às 17h
Marcelo Queiroga

Covid-19: ministro oficializa fim de emergência sanitária

O fim da emergência de saúde pública terá um prazo de transição de 30 dias, para adequação dos governos federal, estaduais e municipais, ou seja, a portaria passa a valer em 22 de maio
Conteúdo patrocinado: