Também estamos nas redes

Faça sua busca

IBGE: vendas do comércio varejista crescem 1,2% em 2020

Pandemia prejudicou consumo em março e abril, revela pesquisa

O volume de vendas do comércio varejista brasileiro fechou 2020 com uma alta de 1,2%, segundo dados da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), divulgada hoje (10), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A receita nominal teve alta de 6%.

Segundo o pesquisador Cristiano Santos, do IBGE a pandemia de covid-19 teve impacto nos resultados da pesquisa ao longo do ano. “Os resultados da pesquisa costumam ter variações menores, mas com a pandemia houve uma mudança neste cenário, já que tivemos dois meses (março e abril) de quedas muito grandes”, afirma.

Apesar da alta no ano, o comércio teve quedas de 6,1% no volume de vendas (a mais intensa da série histórica iniciada em 2000) e de 5,3% receita nominal, na passagem de novembro para dezembro. Na média móvel trimestral, os recuos foram de 1,8% no volume de vendas e de 0,8% na receita nominal.

Na comparação de dezembro de 2020 com dezembro de 2019, houve altas de 1,2% no volume de vendas e de 9,2% na receita nominal.

Vendas em alta

No acumulado do ano, quatro dos oito segmentos do varejo tiveram alta nas vendas: supermercados, alimentos, bebidas e fumo (4,8%), móveis e eletrodomésticos (10,6%), artigos farmacêuticos, médicos e de perfumaria (8,3%) e outros artigos de uso pessoal e doméstico (2,5%).

Quatro setores tiveram queda nas vendas: combustíveis e lubrificantes (-9,7%), tecidos, vestuário e calçados (-22,7%), livros, jornais, revistas e papelaria (-30,6%) e equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-16,2%).

O varejo ampliado, que também inclui vendas de veículos e de material de construção, fechou o ano com recuo de 3,7% no volume e de 2,8% na receita nominal. Os veículos, motos, partes e peças tiveram queda de 13,7% no volume. Já o volume de materiais de construção cresceu 10,8%.

Dezembro

Na passagem de novembro para dezembro, todas as oito atividades do comércio varejista apresentaram retração, com destaque para outros artigos de uso pessoal e doméstico (-13,8%), tecidos, vestuário e calçados (-13,3%) e equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-6,8%).

Dois segmentos avaliados no varejo ampliado também tiveram redução de vendas: veículos, motos, partes e peças (-2,6%) e material de construção (-1,8%).

Por Vitor Abdala/Edição Kleber Sampaio/Agência Brasil

Homem olha vitrine de loja de calçados no Rio de Janeiro
(Imagem ilustrativa/Fernando Frazão/Agência Brasil)

Apoiar o jornalismo local não custa nada.
Se esta matéria foi interessante para você, compartilhe em suas redes sociais.

 

Quer sugerir uma reportagem? Entre em contato conosco.

Viu alguma informação incorreta ou erro ortográfico em nossos textos? Avise-nos.

Continue navegando. Tem mais conteúdo para você logo abaixo 😉

 

Você está na editoria:

Comentários

+ lidas

Betim

Na última terça-feira (16), uma adutora da Copasa foi desativada após uma represa particular transbordar; Sete bairros de Betim enfrentam racionamento de água até...

Betim

Com a normalização, a empresa suspendeu o rodízio que durou uma semana em sete bairros da cidade

Saúde

A vacinação será em domicílio e as equipes das Unidades Básicas de Saúde (UBS) entrarão em contato com os idosos para agendar o atendimento

Betim

Portaria foi publicada no último dia 6 no Órgão Oficial do Município; Além de coordenar operações nas vias públicas, a instituição passa, também, a...

Betim

Empresa disse que nova adutora, construída após represa particular transbordar e afetar sua rede de distribuição, entrará em operação no final da noite desta...

Saúde

Casos confirmados desde o início da pandemia somam 17.716; Mortes em decorrência da doença chegam a 456

Saúde

Casos confirmados desde o início da pandemia somam 17.885; Mortes em decorrência da doença chegam a 462

Saúde

Casos confirmados desde o início da pandemia somam 17.749; Mortes em decorrência da doença chegam a 461

Publicidade