Vista da Refinaria Gabriel Passos (Regap), em Betim
(Imagem Reprodução/Street View)

Um pedido de destaque registrado ontem (21) pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, suspendeu o julgamento de uma reclamação que busca barrar a venda imediata de refinarias pela Petrobras.

Com o pedido de destaque, o processo deve agora ser julgado oralmente, durante sessão presencial ou por videoconferência transmitida ao vivo, o que ainda não tem data para ocorrer. Cabe agora ao próprio Fux, como presidente do Supremo, agendar o julgamento.

Antes do destaque, o caso era julgado no plenário virtual, ambiente digital em que os ministros têm um prazo para votar por escrito. A análise foi interrompida com o placar de 3 a 0 pela concessão de uma liminar (decisão provisória) para suspender a venda de refinarias pela Petrobras.

Votaram a favor da liminar o relator Edson Fachin, e os ministros Ricardo Lewandowski e Marco Aurélio Mello. Os demais ainda não haviam votado. Com o destaque, porém, o placar volta à estaca zero e eles terão que se manifestar novamente.

O processo tramita em meio a planos já divulgados pela Petrobras de se desfazer de 100% de sua participação em ao menos seis refinarias espalhadas pelo país. São elas: Gabriel Passos (Regap), em Minas Gerais; Landulpho Alves (RLAM), na Bahia; Abreu e Lima (RNEST), em Pernambuco; Presidente Getúlio Vargas (Repar), no Paraná; Alberto Pasqualini (Refap), no Rio Grande do Sul; e Isaac Sabbá (Reman), no Amazonas.

Aval legislativo

A liminar para barrar as vendas é pedida pelas mesas diretoras da Câmara dos Deputados e do Senado. A cúpula do Congresso argumenta que a Petrobras pretende criar subsidiárias com o único objetivo de “fatiar” ativos estratégicos e vender partes significativas da empresa sem a necessária autorização legislativa.

A estratégia da petroleira estatal visa contornar uma decisão tomada pelo plenário do Supremo, argumentou a cúpula do Congresso. Em junho do ano passado, os ministros decidiram ser necessária a autorização parlamentar para a venda de empresas estatais. A exceção são as subsidiárias, que podem ser vendidas sem o aval do Congresso, de acordo com a decisão.

Fachin concordou com os argumentos do pedido, votando pela suspensão das negociações ao menos até que o plenário do Supremo discuta em definitivo se a estratégia da empresa desrespeita ou não a decisão do tribunal.

“Não se está afirmando que essa venda não seja possível, necessária ou desejável dentro do programa de desinvestimentos da empresa, mas que essa ação depende do necessário crivo do Congresso Nacional e procedimento licitatório”, escreveu o ministro relator.

Vista da Refinaria Gabriel Passos (Regap), em Betim
(Imagem Reprodução/Street View)

Por Agência Brasil

 

Comunicar erroFale conoscoNewsletter

Mais do Agenda Betim
Notas fiscais

Prazo para regularização de alvarás de empresas em Betim termina no dia 29

Consulta de pendências pode ser realizada pelo icad Online. Cerca de 2,3 mil empresas precisam regularizar a situação, de acordo com a prefeitura
Silhueta De Um Homem Tocando Saxofone Durante O Pôr Do Sol

Parque Felisberto Neves recebe novo projeto musical em agosto

O ‘Jazz no Parque’ busca estimular a visitação nesse importante espaço de lazer, localizado no Horto.
Mostra Expressões do Cotidiano em museu de Betim

Mostra “Expressões do Cotidiano” pode ser visitada até o dia 5/08 no Museu Paulo Araújo Moreira Gontijo

Estão em exibição 18 peças do ceramista e modelador Admilson de Souza que apresentam vários tipos de pessoas encontradas na vida urbana
Betim e Contagem pedem mudanças no rodoanel metropolitano

Betim e Contagem tentam mudar traçado do rodoanel metropolitano

Segundo os prefeitos, obra vai cortar bairros densamente povoados e colocar em risco a Bacia Hidrográfica de Vargem das Flores, responsável por abastecer parte da região metropolitana
Conteúdo patrocinado: