Nana e Mágico Evan
Nana e Mágico Evan – Foto: Divulgação

A história do menino que pescava estrelas será narrada pela contadora de histórias Nana e pelo Mágico Evan para os alunos do Salão do Encontro, em Betim, nessa sexta-feira (26). O enredo é baseado no livro O Mar de Manu, da escritora Cidinha da Silva.

A narrativa poética se passa entre três países não banhados pelo mar, regiões irmãs que tiveram povos separados pelo colonialismo: Níger, Burkina Faso e Mali. O evento promete muita diversão para a meninada!

A contação será promovida pela Biblioteca Comunitária do Salão do Encontro, dentro do Movimento Literário, que está homenageando a escritora Cidinha da Silva. A iniciativa é desenvolvida pela rede “Sou de Minas, Uai”, da qual a biblioteca da instituição faz parte.

O evento também conta com o apoio do Projeto Semeando Cidadania, Saber & Cultura, patrocinado pelo Programa Petrobras Socioambiental, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais.

Por conta dos protocolos de biossegurança em virtude da pandemia, o evento é restrito para alunos do Salão do Encontro.

Contação de histórias

No Salão do Encontro, a contação de histórias é rotina para os alunos na biblioteca, embaixo das mangueiras e em vários espaços.

“A contação de histórias desperta a curiosidade, estimula a imaginação, desenvolve a autonomia e pensamento da criança, além de proporcionar diversas emoções e ajudar a resolver conflitos emocionais”, salienta a educadora e mediadora de leitura no Salão do Encontro, Edilca Borges.

Para a instituição, a leitura é um dos principais instrumentos para fortalecer o processo de formação social, cultural e intelectual de pessoas de todas as idades. A biblioteca do Salão é ampla, com um acervo rico. Ela também é aberta ao público, embora esteja momentaneamente restrita para uso dos alunos por conta das regras de biossegurança, em virtude da pandemia. 

Compartilhe

 

Comunicar erroFale conoscoNewsletter

Mais do Agenda Betim
Casa da Cultura em Betim

Exposição na Casa da Cultura homenageia Dia Mundial do Meio Ambiente

O artista Eliandro Rodrigues propõe ressignificar o lixo e transformar sucatas e materiais reciclados em arte
Conteúdo patrocinado: