Vittorio Medioli em transmissão na internet
31.jan.2022 – Vittorio Medioli em transmissão pela internet – reprodução/Facebook

Em uma transmissão nas redes sociais, na noite desta segunda-feira (31.jan), o prefeito Vittorio Medioli (sem partido) disse que pode disputar as eleições para o Governo de Minas.

Questionado por um seguidor, Medioli disse que, no momento, pretende terminar seu mandato como prefeito, mas não descartou a possibilidade de se candidatar. “Não quero ser governador. Gosto de Betim e tenho uma missão aqui. Pretendo ficar, mas se os pedidos aumentarem muito, quem sabe. Nós vamos pensar nisso no mês de março”, respondeu.

Durante boa parte do tempo gasto em sua resposta, o prefeito criticou a gestão do governador Romeu Zema (Novo). “Hoje as estradas estão largadas no interior de Minas. Todo dia eu recebo coisas, obras não se vê […] Os municípios foram espoliados de dinheiro que era deles. Tem uma dívida, que me parece ser de R$ 8 bilhões, só na Saúde. Fora o ICMS, o IPVA e outros impostos. [Aqui] é o único lugar do mundo em que o Estado retirou repasses constitucionais. Fez passar pela conta dele e repassou [para os municípios] muito menos”, afirmou.

As dívidas mencionadas pelo prefeito são referentes aos repasses para a Saúde previstos no orçamento do Governo do Estado entre 2009 e 2020, mas que não haviam sido quitadas. Em outubro de 2021, o governo estadual fez um acordo com a Associação Mineira de Municípios (AMM) para o pagamento de R$ 6,7 bilhões em 98 parcelas. Já os repasses do ICMS, IPVA e Fundeb somam R$ 7 bilhões, que segundo o governo mineiro, já foram pagos 75% do débito.

Em julho de 2021, Vittorio Medioli deixou o Partido Social Democrático (PSD), sigla da qual o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, faz parte e é considerado um possível adversário de Zema em outubro. Na época da desfiliação, Medioli disse que continuaria a se dedicar ‘com afinco, experiência e boa vontade para que a cidade e seus moradores possam ter um grande avanço no desenvolvimento social e econômico’.

Segundo o jornalista Lucas Ragazzi, da rádio Itatiaia, o União Brasil, partido formado a partir da fusão entre PSL e o Democratas, estaria sondando Medioli para a disputa eleitoral em Minas, além de costurar um acordo para apoiar o ex-juiz Sérgio Moro na eleição presidencial.

Moro, aliás, recomendou em suas redes sociais na noite desta segunda, a leitura um artigo de Medioli publicado no jornal “O Tempo”, veículo do qual Vittorio é proprietário.

VEJA TAMBÉM:

Compartilhe

 

Comunicar erroFale conoscoNewsletter

Conteúdo patrocinado: