Também estamos nas redes

Faça sua busca

INSS inicia força-tarefa para reduzir fila para benefício assistencial

Pago a idosos a partir de 65 anos, pessoas com deficiência e trabalhadores portuários avulsos, o BPC equivale a um salário mínimo e tem como objetivo reduzir a pobreza na população de menor renda

Um total de 1.383 servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) trabalham até 22 de março para desafogar a fila de pedidos para o Benefício de Prestação Continuada (BPC). O órgão iniciou, no último dia 12, uma força-tarefa para acelerar as avaliações sociais, que analisam se o cidadão se enquadra nos critérios para receber o benefício assistencial.

Pago a idosos a partir de 65 anos, pessoas com deficiência e trabalhadores portuários avulsos, o BPC equivale a um salário mínimo e tem como objetivo reduzir a pobreza na população de menor renda. Para ter direito ao benefício, é necessário comprovar que a renda per capita (por pessoa) na família seja menor que um quarto do salário mínimo, atualmente R$ 275 mensais por membro da família.

A força-tarefa envolverá servidores de todas as regionais do país e terá foco na análise das condições sociais do segurado. Segundo o INSS, após o fim da ação emergencial, parte dos servidores permanecerá com dedicação exclusiva à análise de processos de benefícios assistenciais.

Em dezembro de 2020, informou a Secretaria de Previdência do Ministério da Economia, o estoque de benefícios assistenciais em análise ou em exigência totalizou 534.848. Desse total, 442.483 foram pedidos por pessoas com deficiência, 89.088 por idosos, 2.612 por trabalhadores portuários avulsos e 665 por mães de crianças com microcefalia.

Segundo o INSS, a maior parte das exigências para a liberação do BPC está relacionada ao Cadastro Único de Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico). O órgão recomenda que os segurados atualizem as informações para acelerar as análises.

O INSS conseguiu fechar um acordo com a Caixa Econômica Federal (CEF) para acesso em tempo real ao CadÚnico, o que deve acelerar a solução de problemas de divergências cadastrais. Nos últimos meses, o órgão automatizou a análise do BPC para pessoas idosas. Segurados podem enviar os documentos e comprovar as exigências por meio do aplicativo Meu INSS. Os documentos podem ser entregues por meio de cópias simples, sem a necessidade de comparecimento a uma agência com o documento original.

Por Wellton Máximo/Edição Aline Leal/Agência Brasil

Agência do INSS
(Imagem Arquivo Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Apoiar o jornalismo local não custa nada.
Se esta matéria foi interessante para você, compartilhe em suas redes sociais.

 

Quer sugerir uma reportagem? Entre em contato conosco.

Viu alguma informação incorreta ou erro ortográfico em nossos textos? Avise-nos.

Continue navegando. Tem mais conteúdo para você logo abaixo 😉

 

Você está na editoria:

Comentários

+ lidas

Betim

Na última terça-feira (16), uma adutora da Copasa foi desativada após uma represa particular transbordar; Sete bairros de Betim enfrentam racionamento de água até...

Betim

Com a normalização, a empresa suspendeu o rodízio que durou uma semana em sete bairros da cidade

Saúde

A vacinação será em domicílio e as equipes das Unidades Básicas de Saúde (UBS) entrarão em contato com os idosos para agendar o atendimento

Betim

Portaria foi publicada no último dia 6 no Órgão Oficial do Município; Além de coordenar operações nas vias públicas, a instituição passa, também, a...

Betim

Empresa disse que nova adutora, construída após represa particular transbordar e afetar sua rede de distribuição, entrará em operação no final da noite desta...

Saúde

Casos confirmados desde o início da pandemia somam 17.716; Mortes em decorrência da doença chegam a 456

Saúde

Casos confirmados desde o início da pandemia somam 17.885; Mortes em decorrência da doença chegam a 462

Saúde

Casos confirmados desde o início da pandemia somam 17.749; Mortes em decorrência da doença chegam a 461

Publicidade