Também estamos nas redes

Faça sua busca

Brasil

Alimentos representaram 60% da inflação dos mais pobres em outubro

A pesquisa foi divulgada hoje pelo Ipea

Supermercado na zona sul do Rio de Janeiro.
(Imagem Tânia Rêgo/Agência Brasil)

A alta no preço dos alimentos pressionou a inflação dos mais pobres em outubro e representou 60% de todo o indicador Ipea de Inflação por Faixa de Renda, divulgado hoje (11) pelo Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea). Segundo o instituto, as famílias de renda muito baixa acumulam uma inflação de 3,53% em 2020 e de 5,33% em 12 meses, enquanto a faixa de renda alta vem se beneficiando da queda no preço dos serviços e acumula 1,04% em 2020 e 2,48% em 12 meses.

Para fazer a pesquisa, o Ipea calcula a inflação para seis grupos de renda familiar: muito baixa (menor que R$ 1.650,50), baixa (entre R$ 1.650,50 e R$ 2.471,09), média-baixa (de R$ 2.471,09 a R$ 4.127,41), média (de R$ 4.127,41 a R$ 8.254,83), média alta (de R$ 8.254,83 a R$ 16.509,66) e alta (acima de R$ 16.509,66).

No grupo alimentos e bebidas, que tem maior peso na inflação das famílias mais pobres, destacaram-se em outubro as variações de preço do arroz (13,4%), da batata (17%), do tomate (18,7%), do óleo de soja (17,4%) e das carnes (4,3%). De janeiro a outubro, alguns desses itens acumulam altas expressivas, como o arroz (47,6%), o feijão (59,5%), o leite (29,5%) e o óleo de soja (77,7%).

No acumulado do ano, o grupo de famílias de alta renda vem se beneficiando da deflação acumulada de serviços que têm peso em sua cesta de compras, como as passagens aéreas (-37,3%), o transporte por aplicativo (-22,7%), o seguro de automóvel (-9,9%) e a gasolina (-3,3%).

Apesar disso, em outubro, as passagens aéreas ajudaram a puxar a inflação dos mais ricos para cima. Em setembro, as famílias de alta renda tiveram uma inflação de 0,29%, percentual que subiu para 0,82% em outubro. Enquanto isso, os mais pobres tiveram uma inflação de 0,98% que se manteve estável nos dois meses.

A inflação acumulada em 12 meses apresentou uma tendência de aceleração para todas as faixas de renda. Em outubro do ano passado, o índice mensal havia sido de 0,01% para os mais pobres, contra 0,98% neste ano. Para os mais ricos, o indicador passou de 0,17% para 0,82%.

Ipea: Alimentos representaram 60% da inflação dos mais pobres em outubro
Imagem Divulgação/Ipea


Apoiar o jornalismo local não custa nada.
Se esta matéria foi interessante para você, compartilhe em suas redes sociais.

Banner newsletter Agenda Betim

 


Quer sugerir uma reportagem? Entre em contato conosco.

Viu alguma informação incorreta ou erro ortográfico em nossos textos? Avise-nos.

Continue navegando. Tem mais conteúdo para você logo abaixo 😉

 

Comentários

+ lidas

Cidade

Em comunicado nas redes sociais, Prime Show anuncia encerramento em definitivo de suas atividades. Cenário causado pela pandemia continua incerto para o setor de...

Cidade

Nesta segunda-feira, a temperatura mínima chegou aos 11ºC durante a madrugada, e a máxima não deve passar dos 24ºC, no período da tarde, de...

Saúde

A ampliação para estes grupos, no entanto, depende de novas remessas de vacinas pela Secretaria de Estado de Saúde (SES/MG)

Cidade

Prefeitura também definiu as datas de entrega das Unidades Básicas de Saúde Nossa Senhora de Fátima e Celso Pedrosa

Saúde

Desde o início da pandemia, são 1.312 óbitos e 30.245 confirmações da infecção

Política

Em uma nota divulgada nas redes sociais, Vittorio agradece os dirigentes do partido e diz que continuará 'dedicar com afinco, experiência e boa vontade,...

Cidade

De acordo com a Prefeitura de Betim, os funcionários acionaram a Polícia Militar (PM), na manhã de hoje, após chegarem para trabalhar e identificarem...

Cidade

O frio deve continuar nos próximos dias na cidade. A mínima prevista para quinta é de 10ºC, e deve cair ainda mais na sexta...

Publicidade